Incêndio no Flamengo: Justiça nega pedido para suspender pensão a famílias de meninos

A Justiça do Rio de Janeiro negou recurso do Clube de Regatas do Flamengo que pedia a suspensão do pagamento de R$ 10 mil por mês para as famílias de vítimas da tragédia do Ninho do Urubu. Em decisão na última sexta-feira (21), a juíza Bianca Ferreira Nigri, da 1ª Vara Cível da Barra da Tijuca, afirmou que “o fato de ter o réu, segundo afirma, realizado acordos com parte das famílias dos menores vitimados no incêndio, nada altera o curso da demanda”.
A pensão aos familiares foi fixada a pedido da Defensoria Pública do Rio de Janeiro (DP-RJ) e pelo Ministério Público do Estado (MP-RJ). O valor, definido em dezembro de 2019, já havia sido alvo de recurso do Flamengo. A decisão da Justiça ressalta que o pagamento visa a recomposição financeira das famílias até futura decisão judicial. O clube poderá pagar multa diária de R$ 1 mil para cada beneficiário caso descumpra a determinação.
O incêndio no Centro de Treinamento Ninho do Urubu, localizado em Vargem Grande, na Zona Oeste do Rio, provocou a morte de 10 jovens atletas entre 14 e 16 anos em fevereiro de 2019. Na época, um dos sobreviventes disse que “o incêndio começou no meu quarto. O ar-condicionado começou a pegar fogo e eu saí correndo. Graças a Deus consegui correr e estou vivo”, disse Felipe Cardoso, do time sub-17 em entrevista ao site “Coluna do Flamengo”.

Fonte: Brasil de Fato | Edição: Eduardo Miranda| Foto: Tomaz Silva/Agência Brasil

%d blogueiros gostam disto: