Especialistas chamam a atenção para cuidados em relação à miopia

Nos próximos trinta anos a miopia deve crescer cerca de 89% no Brasil segundo projeção da OMS.
Qualquer diminuição da visão pode mudar de forma significativa a vida de qualquer pessoa. Situações simples do dia a dia, podem ser um grande problema. Imagine não conseguir enxergar se o ônibus que está vindo é o seu ou não identificar alguém que está acenando pra você a uma certa distância. Esses são alguns exemplos corriqueiros de situações que acontecem com a uem não vê bem de longe, como os míopes.
A miopia é um distúrbio caracterizado por dificuldades na visão para longe. Assim como os demais problemas de refração como hipermetropia e astigmatismo, quem sofre de miopia não tem a imagem corretamente focada pela retina devido à distorções criadas na passagem da luz através do olho.
Segundo dados da OMS, a Organização Mundial da Saúde, a Miopia acomete atualmente cerca de 2.600 milhões de pessoas no mundo e os números são ainda maiores para os próximos trinta anos. No Brasil, a expectativa é que até o ano de 2050 haja 89% de elevação no número de casos e mundialmente, a previsão é de 49% de aumento.
“A miopia se manifesta normalmente de forma lenta e progressiva, podendo começar em crianças ou adultos jovens. Ela provoca dificuldade de visão para longe e também pode ser causa de dor de cabeça pelo esforço para enxergar. Essa expectativa de grande aumento do número de míopes está relacionada à modificações de hábitos da população, como uso frequente de celulares, tablets e computadores, além da pouca exposição a luz solar. Esses fatores vem sendo relacionados a um aumento progressivo do número de casos de miopia e também a progressão do grau, principalmente em pacientes jovens”, diz o especialista em miopia, Drº Fernando Medeiros.
A correção da miopia é feita basicamente com óculos e lentes de contato. Em muitos casos, em condições ideais, pode também ser corrigida de forma mais definitiva com cirurgia. “A modalidade cirúrgica mais comum é com uso do Excimer Laser, mas também é possível implantar lentes intraoculares como a Artisan, em casos específicos. Vale ressaltar que não são todos os pacientes que podem fazer a correção dessa forma, por isso é recomendado uma série de exames minuciosos e consultas com um especialista em cirurgia refrativa”, pontua o oftalmologista.
O casal Ana Carolina e Pascal Loeffelmann moram em Zurique na Suíça e vieram até Petrópolis para realizar sua cirurgia de correção de miopia em 2009. Segundo eles, o procedimento trouxe vários benefícios para o seu dia a dia.
“Usar óculos se tornou uma moléstia, já que depois de um dia de trabalho os olhos ficavam cansados e não tive uma boa adaptação a lente de contato no dia a dia. Com a cirúrgia de miopia passei a ter qualidade de vida pois parei de me preocupar onde havia esquecido os óculos e não sentia mais o cansaço. Praticar esportes como o tênis ou ir nadar passou a ser algo prazeroso e sem preocupação. A cirurgia foi a melhor decisão que já fiz na minha vida e recomendaria mil vezes pois só veio a somar”, relata.
A cirurgia de miopia por laser tem por objetivo dar independência dos óculos e lentes de contato ao paciente. É um procedimento considerado rápido e seguro, mas só altera a anatomia da córnea. As demais estruturas do globo ocular continuarão com características de um olho míope.
Por isso os especialistas recomendam que alguns hábitos sejam tomados para tentar retardar a evolução da doença, que está relacionada diretamente a questões genéticas.
A diminuição do tempo uso de eletrônicos e a prática de atividades ao ar livre, podem auxiliar nesse processo, particularmente em crianças e adolescentes. Algumas estratégias como prescrição precisa do grau, lentes de contato especiais e até uso de alguns colírios, vem sendo discutidas e utilizadas em todo o mundo na tentativa de frear a progressão do grau dos míopes.
“É importante ressaltar que míopes são mais propensos ao glaucoma e ao descolamento de retina, portanto quando se fala em controle da miopia não é somente uma questão de grau maior ou menor, é uma questão de saúde ocular, finaliza o Dr.”

%d blogueiros gostam disto: