Comércio registra saldo positivo na geração de empregos por dois meses consecutivos, em Petrópolis

Sicomércio comemora os números e acredita que o cenário vai permanecer assim com as contratações de fim de ano


Dados do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (CAGED) mostram que por dois meses consecutivos, o comércio em Petrópolis/RJ registrou saldo positivo na variação de admissões e desligamentos. Os números divulgados até o momento revelam que em julho (+8) e em agosto (+36) o setor apresentou leve recuperação, depois de 4 meses com saldos negativos, e pico em abril com mais de mil desligamentos.
“No período inicial da pandemia, o setor foi muito prejudicado. Ficamos fechados por 90 dias. Depois com horários restritos de funcionamento e o impedimento de acesso imposto pelas barreiras sanitárias, a situação continuou ruim. Os números positivos do Caged nos mostram que o setor está se recuperando lentamente e reforçam que quando o setor pode exercer sua função sem qualquer tipo de restrição, em plena capacidade, conseguimos entregar números positivos. Isso mostra, também, a força e a importância do setor para a economia da cidade”, diz Marcelo Fiorini, presidente do Sindicato do Comércio Varejista de Petrópolis (SICOMÉRCIO).
Com a aproximação das festas de fim de ano, uma das melhores épocas para vendas no setor de bens e serviços, o Sicomércio acredita que esses números continuarão positivos. Uma pesquisa do Instituto Fecomércio de Pesquisas e Análises (IFec RJ) sobre contratação de mão de obra temporária para o Natal e a alta temporada, mostrou que entre os empresários consultados, 30,6% afirmam que pretendem abrir vagas. A sondagem contou com a participação de 363 empresários do estado do Rio de Janeiro. Já em Petrópolis, 80% dos empresários da Rua Teresa questionados se contratariam ou não colaboradores como temporários para o fim do ano, responderam que sim.
“Com a rede hoteleira recebendo turistas e a cidade aberta para visitantes, estamos otimistas para as vendas de fim de ano. Se pararmos para pensar que há cinco meses as lojas estavam fechadas, não tínhamos nem perspectiva de melhora. Agora estamos nos recuperando e o movimento aumentando a cada semana”, revela Denise Fiorini, presidente da Associação da Rua Teresa (ARTE).
Marcelo reforça que o turismo aquecido é grande aliado dos polos de moda. As vendas para visitantes representam uma fatia importante do faturamento das marcas petropolitanas.
“O impacto no setor em Petrópolis poderia ter sido menor. Ficamos muitos dias fechados e depois vieram restrições de acesso e atendimento. Agora com as flexibilizações e com o retorno desses consumidores, os números voltam a ficar positivos”.

%d blogueiros gostam disto: