Pesquisa eleitoral em Cabo Frio é impugnada pela Justiça por suspeita de fraude

Em menos de 24 horas da divulgação da pesquisa da empresa ‘Orbis Instituto de Pesquisa de Mercado LTDA’, conhecido como Instituto Orbis, e divulgado na mídia, que apontava uma diferença considerável para o candidato José Bonifácio, do PDT, com relação aos outros candidatos a Prefeito do município de Cabo Frio, está impugnada pela Justiça, “pela existência de elementos circunstanciais e fáticos que colocariam em dúvida a idoneidade do instituto de pesquisa e ainda, a própria credibilidade da pesquisa registrada”, segundo a sentença do Promotor Eleitoral, André Luiz Noira Passos da Costa que determina ainda a suspensão da divulgação da pesquisa impugnada.
A decisão de impugnação da pesquisa que consta no processo número 0.600901-84.2020.6.19.0096 do dia 10 de novembro de 2020 declara ainda não ter tido acesso ao sistema de controle, verificação e fiscalização da coleta de dados da entidade e das empresas que divulgaram a pesquisa, em afronta ao disposto no artigo 13 da resolução TSE número 23.600/2019. As empresas contratantes da pesquisa impugnada, Paradiso Del Sol Empreendimentos Turísticos LTDA e a D.A.S Comércio e instalação elétrica e hidráulica LTDA, a Engeluz, foram intimadas pela Justiça para apresentarem esclarecimentos e informações sobre quem contratou a pesquisa, quais os valores desembolsados com os comprovantes de transferência, TED, DOC ou depósitos realizados.
A decisão de impugnação da pesquisa que consta no processo número 0.600901-84.2020.6.19.0096 do dia 10 de novembro de 2020 declara ainda não ter tido acesso ao sistema de controle, verificação e fiscalização da coleta de dados da entidade e das empresas que divulgaram a pesquisa, em afronta ao disposto no artigo 13 da resolução TSE número 23.600/2019. As empresas contratantes da pesquisa impugnada, Paradiso Del Sol Empreendimentos Turísticos LTDA e a D.A.S Comércio e instalação elétrica e hidráulica LTDA, a Engeluz, foram intimadas pela Justiça para apresentarem esclarecimentos e informações sobre quem contratou a pesquisa, quais os valores desembolsados com os comprovantes de transferência, TED, DOC ou depósitos realizados.
O Instituto de pesquisa está obrigado, judicialmente, a apresentar e comprovar o sistema de controle interno utilizado, nomes dos entrevistadores contratados, juntando comprovação de vínculo com a empresa, qual a pessoa ligada a pessoa jurídica contratante que realizou o pagamento, qual o dia, a forma de contato, telefone, forma de pagamento do valor de contratação, juntando-se seu respectivo comprovante de pagamento, qual a forma de controle da data em que realizada a pesquisa, já que feita por telefone, seja disponibilizado acesso aleatório às gravações das entrevistas já realizadas, qual o número das linhas telefônicas utilizadas na pesquisa e quais os dias e horários das ligações, de acordo com a decisão de Justiça.

Fonte: Plantão dos Lagos

%d blogueiros gostam disto: