Novembro chama a atenção sobre a retinopatia diabética

Doença pode levar a cegueira e procura por atendimentos diminuiu durante a pandemia do novo coronavírus

O mês de novembro acende o alerta sobre a relação da diabetes com a saúde ocular em pacientes diagnosticados com a doença, que eleva o nível de açúcar no sangue, podendo ocasionar complicações em vários órgãos. Quando o assunto é a visão, a elevação da glicemia, pode levar a formação de catarata e obstruir total ou parcialmente a circulação da retina, causando hemorragias, edema e até o descolamento.
Especialistas indicam o que o controle adequado do nível de açúcar no sangue , pode evitar complicações como a retinopatia diabética. Segundo o Conselho Brasileiro de Oftalmologia, o número de exames para o diagnóstico do problema, diminuiu em cerca de 36% durante a pandemia do novo coronavírus no Brasil. Segundo o especialista em retina Dr. João Victor Ormonde, a doença é silenciosa e por isso pacientes que tenham diabetes, precisam fazer acompanhamento frequente.
“Infelizmente a pandemia fez com que muitos pacientes perdessem seguimento, inclusive pacientes que estavam em tratamento e isto trouxe consequências ruins para muitas pessoas. A diabetes é uma doença cada vez mais comum na população mundial e consequentemente os problemas visuais causados por ela também. A retina é a parte do olho responsável pela formação de imagens e as alterações causadas pelo diabetes podem levar a cegueira. Por isso é fundamental realizar o diagnóstico e tratamento precoces e acompanhamento oftalmológico regular”
O médico orienta que a prevenção seja feita com dietas adequadas, exercícios físicos e uso regular das medicações, para o controle da glicemia. Pacientes com diabetes do tipo 1 e 2 são potenciais vítimas da doença nos olhos, de forma que um a cada três pessoas com diabetes desenvolvem algum grau de retinopatia.
“É importante que o paciente saiba que a retinopatia diabética é uma doença que pode levar a perda de visão irreversível e que o tratamento tardio nem sempre é eficaz. As opções de tratamento variam de caso a caso, podendo incluir laser, injeções intra oculares e até cirurgia. O ideal é prevenir o surgimento do doença perseguindo o controle rigoroso dos níveis de açúcar no sangue. Além disso é importante controlar a hipertensão arterial e o colesterol que contribuem para o sofrimento vascular e agravam a retinopatia doença.”, sinaliza a Oftalmologista Ana Luísa Aleixo.
A fim de conscientizar a população sobre a importância do diagnóstico, o Conselho Brasileiro de Oftalmologia promove, em 21 de novembro, uma maratona de atividades, de modo virtual, com foco na prevenção. A programação será realizada no site 24h pelo diabetes. Na página da Oftalmoclinica de Petrópolis no Instagram e no Facebook, também será realizada uma série de ações, para conscientizar sobre a doença e a importância do acompanhamento.

%d blogueiros gostam disto: