Programa RJ Alimenta chega à marca de 1 milhão de refeições servidas

O programa RJ Alimenta chegará à marca de 1 milhão de refeições servidas para pessoas em situação de vulnerabilidade social em cinco meses. Para comemorar o resultado, as secretarias de Desenvolvimento Social e Direitos Humanos e de Cultura e Economia Criativa do Estado assinarão um convênio para tornar a Biblioteca Parque Estadual, no Centro do Rio, o novo ponto de entrega das quentinhas. Além disso, nesta sexta-feira (05/02), a biblioteca vai receber uma ceia especial, apresentações musicais, leitura de poesias e distribuição de livros. O evento respeitará todos os protocolos de segurança para prevenção à Covid-19.
“Sabemos que a fome exige urgência e precisamos alimentar quem perdeu seus empregos por conta da crise causada pela pandemia. Além de uma boa refeição balanceada, essa população desamparada também tem necessidade de contato com o conhecimento e a arte. Oferecendo esses dois importantes serviços, as pessoas terão melhores condições de retomar à vida ativa depois da pandemia”, afirmou a secretária de Estado de Cultura e Economia Criativa, Danielle Barros.
O programa estadual oferece café da manhã, almoço e janta também nos restaurantes-cidadãos de Nova Iguaçu e de Duque de Caxias, na Baixada Fluminense. A Biblioteca Parque vai substituir a unidade que funcionava no portão D da Central do Brasil.
“Compartilhar a felicidade dessas pessoas é um prêmio que a vida está me oferecendo. Vamos continuar investindo nesse projeto, levando alimentos e arte para todos os que necessitam”, disse o secretário de Desenvolvimento Social e Direitos Humanos, Bruno Dauaire.

Perfil do beneficiado pelo RJ Alimenta
De acordo com pesquisa realizada pela Fundação Leão XIII, 66,3% das pessoas que recebem as refeições são homens. Deste total, 77,3% afirmam ter outro local para almoçar, enquanto 22,7% não têm. Além disso, 54,2% dos beneficiados se apresentam como em situação de vulnerabilidade.

ED 531-CLIQUE AQUI

%d blogueiros gostam disto: