As vacinas e a Covid-19

A atual pandemia mundial da COVID-19estimulou a comunidade científica internacional a buscar respostas em termos de tratamento e vacinas para controlar o novo coronavírus (SARS-CoV-2).

Até agora, não existe nenhuma medicação específica para o tratamento da Covid-19.Nenhum tratamento “precoce” ou definitivo é eficaz contra SARS-CoV-2.

A única maneira de controlar o vírus e a doença por ele causada é o uso das vacinas, maciçamente em toda a população. No Brasil temos disponíveis, até o momento, duas delas: a Coronavac/Butantan e a Oxford/AstraZeneca/Fiocruz.  Pela nossa Constituição é obrigação do governo federal adquirir as vacinas e as distribuirpor todo o território nacional vacinando rapidamente a maioria da nossa população.

A experiência mundial no desenvolvimento de vacinas proporcionou, em tão pouco tempo, a criação de vacinas eficazes contra o coronavírus.  Isto, em conjunto com investimentos sem precedentes, apoio de organismos internacionais e parcerias entre indústrias farmacêuticas, universidades e agências sanitárias, possibilitou que em 10 meses após a identificação do agente causador da COVID-19, o licenciamento de vacinas eficazes e seguras contra a doença em vários países.

As vacinas preparam nosso corpo para prevenir uma infecção, vírus ou doença específica. Elas contêm fragmentos inativos ou enfraquecidos do causadorda doença  que estimulam uma resposta pelo nosso organismo. Isso faz com que o sistema imunológico do corpo reconheça o invasor e produza anticorpos para combatê-lo. Estes anticorpos evitam a doença ou caso você a tenha a terá nas suas formas mais brandas evitando a internação hospitalar e a morte. Os efeitos colaterais das vacinas são mínimos geralmentedor discreta no local da aplicação ou febre temporária.

Depois da aplicação da vacina, nosso corpo produz anticorpos e você desenvolve imunidade a essa doença. Por isso, as vacinas são tão poderosas: ao contrário da maioria dos medicamentos, que trata ou cura doenças, as vacinas as evitam.

As vacinas são consideradas uma das maiores conquistas médicas do mundo moderno — evitando em torno de 3 milhões de mortes a cada ano e prevenindo mais de 20 doenças, de acordo com a Organização Mundial da Saúde.  São rigorosamente testadas antes de serem colocadas no mercado, com exames primeiro em laboratórios e em animais antes de serem submetidas a testes clínicos envolvendo pessoas. Em seguida, devem ser aprovadas por agências reguladoras de saúde, como a Agência de Vigilância Sanitária (Anvisa) em nosso país.Como ocorre com todos os medicamentos, riscos pequenos e controláveis existem com toda e qualquer vacina e/ou medicamento.  Entretanto quando ocorrem geralmente são mínimos e inferiores aos benefícios proporcionados.

Portanto, não deixem de se vacinar contra o Coronavírus. É a única maneira de controlarmos esta epidemia em nosso país. E lembrem-se, mesmo vacinados, até que a maior parte de nossa população esteja protegida, usem máscara e álcool em gel e evitem aglomeramentos.

Dr. Mauro Zamboni

Tel.: +55 21 2537-5562
skype: mauro.zamboni
E-mail: mauro.zamboni@gmail.com

ED 531-CLIQUE AQUI

%d blogueiros gostam disto: