Médica é denunciada por morte de paciente após lipoaspiração no Rio

A médica Geysa Leal Correa foi denunciada pelo Ministério Público estadual do Rio de Janeiro pela morte da pedagoga Adriana Ferreira Capitão Pinto, de 41 anos, que faleceu no dia 23 de julho de 2018, uma semana após ter realizado lipoaspiração e enxerto de gordura nos glúteos.
De acordo com informações do jornal ‘Extra’,Geysa foi denunciada pelo crime de homicídio culposo. Para o MP, a médica “deixou de observar o dever objetivo de cuidado que lhe era exigível e, agindo com inobservância das regras técnicas de profissão, com manifesta imperícia e negligência, deu causa à morte de Adriana”.
A investigação da 77ª DP (Icaraí) apontou que Geysa não era habilitada para realizar lipoaspiração, de acordo com a Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica e com o Conselho Regional de Medicina. Geysa é especialista em otorrinolaringologia e apresentou diplomas que não a habilitam a realizar o procedimento. Além disso, o tratamento foi feito em um consultório particular.
A denúncia ainda não foi recebida pela Justiça, por isso a médica ainda não se tornou ré.A médica foi indiciada pela polícia por homicídio culposo e foi denunciada pelo MP pelo mesmo crime.
Geysa continua atuando em um consultório próprio em Icaraí, Niterói. Em seu Intagram, a médica oferece aos seguidores a realização de lipoaspiração.

Do Notícias ao Minuto

ED 531-CLIQUE AQUI

%d blogueiros gostam disto: