Cefet/RJ campus Petrópolis se destaca na Olimpíada Nacional de Ciências

Foi divulgado na última quinta-feira, dia 25 de fevereiro, o resultado da Olimpíada Nacional de Ciências (ONC), competição que reúne alunos do ensino médio e dos 8º e 9º anos do ensino fundamental de escolas públicas ou particulares do todo Brasil. Doze discentes do curso técnico em Telecomunicações integrado ao ensino médio do Cefet/RJ campus Petrópolis se destacaram: Isaac Rabello, Miguel Teixeira e Hiago Silva foram medalhistas de ouro; Rafael Montovani e Bruno Alves garantiram medalha de bronze; e Yago de Sousa, Yuri Castelhano, Matheus Stephano, Lucas Paiva, Lorraine Casseano, Vitor Dias e Isabele Vasques receberam menção honrosa.

O aluno do 2º ano Isaac Rabello comemorou a conquista: “a ficha demorou um pouco a cair. Com tudo isso de aulas online rolando, não imaginei que conseguiria ir tão longe na competição. Mas isso é só mais uma prova de como o Cefet prepara bem seus alunos. Estou muito feliz!”. O estudante também participou de outras competições ao longo de 2020, como a Olimpíada Brasileira de Informática (OBI) e a Olimpíada Brasileira de Física (OBF). Na OBF, Isaac foi finalista e realizou a 3º e última fase (experimental) no sábado, dia 27 de fevereiro.

Isaac ingressou nas competições motivados por projetos de extensão do campus Petrópolis que dão suporte, orientam e preparam os estudantes para as olimpíadas do conhecimento. Por meio do Astronomia para todos no Cefet/RJ, coordenado pelo professor Raul Neto, foi possível ter acesso a materiais específicos, trocar informações e exercícios, e tirar dúvidas por meio de atendimentos via a plataforma Microsoft Teams ou pelo Whatsapp. A iniciativa trabalhou na preparação dos alunos participantes para a ONC, a OBF e a Olimpíada Brasileira de Astronomia (OBA). Já a capacitação para a OBI foi realizada pelo projeto Grupo de Treinamento para Competições de Programação (GTComP), coordenada pelo docente Douglas Cardoso.

“Quando entrei no Cefet, conhecia pouco desse mundo competitivo. Não sabia o que era ONC, nem OBI, nem OBF (risos). O incentivo dos professores foi fundamental. Tanto o Douglas como o Raul se disponibilizaram a tirar dúvidas ou até mesmo explicar algum conceito mais avançado que eu tivesse ‘curiosidade’. Essa ajuda com certeza muda muito a animação de estudar. Sou muito grato a eles”, destacou Isaac.
O professor Raul ressaltou que o esforço e a dedicação de Isaac e dos outros alunos participantes foram primordiais para o bom resultado nas olimpíadas. Ele ainda exaltou a postura deles em aceitar desafios, em enxergarem nas competições uma oportunidade de aprender e em não se acomodarem em um ano tão atípico de paralisação das atividades presenciais. “Pra mim, eles se tornaram um exemplo. Ao mesmo tempo que eu talvez tenha ensinado alguma coisa pra eles, neste momento, a gente merece destacar o ensino que eles trouxeram para nós”, frisou.

ED 531-CLIQUE AQUI

%d blogueiros gostam disto: