UPA Cascatinha volta a ser UPA Vermelha nesta sexta

Para atender o aumento de demanda por internações, a prefeitura está redimensionando a rede de Saúde, com a reabertura da UPA Vermelha. A unidade vai operar com 18 leitos, sendo 14 de UTI e 4 de clínica médica. A UPA Vermelha será exclusiva para a internação de pacientes com covid-19 e voltará a funcionar no prédio da UPA Cascatinha, que teve o atendimento suspenso provisoriamente. O ponto de apoio para atendimento de pacientes com sintomas de covid-19 montado ao lado da UPA seguirá funcionando normalmente, com médicos 24h.
Com a mudança, pacientes que precisem de atendimento de emergência não covid devem se dirigir à UPA Centro, UPA Itaipava ou ao Pronto Socorro Leônidas Sampaio, no Alto da Serra. Já pacientes com sintomas de covid devem se dirigir aos pontos de apoio, que funcionam ao lado da UPA Cascatinha (com médicos 24h), no primeiro andar do Hospital Municipal Nelson de Sá Earp (HMNSE) e ao lado da Unidade Básica de Saúde (UBS) de Itaipava (estes dois pontos de apoio com médico das 8h às 20h e enfermeiros 24h).
“Este redimensionamento da rede é necessário para que a cidade consiga atender a demanda que está surgindo. Hoje, além de atender os pacientes da cidade, nossa rede recebe também pacientes de fora. Isso porque a regulação de leitos para covid-19, por lei, é atualmente feita pelo Estado, que busca as vagas e direciona os pacientes. A prioridade é sempre do morador da cidade, mas precisamos estar prontos para um aumento da demanda”, assinala o secretário de Saúde Aloisio Barbosa da Silva Filho.
Infectologista da rede municipal de Saúde, José Henrique Castrioto de Cunto frisou a importância da antecipação do município, adotando medidas para conter, agora, a disseminação do coronavírus e minimizar a pressão sobre a rede de saúde. “Esta medida dá fôlego ao sistema. Não estamos na mesma situação de dezembro, quando houve uma sobrecarga da rede, mas hoje, com a regulação estadual, precisamos nos manter em alerta”, enfatizou.
Também infectologista da rede, Marco Liserre ressaltou a importância da participação da população para conter a disseminação do vírus e evitar a necessidade de medidas ainda mais restritivas. “As pessoas precisam manter o uso de máscaras, os cuidados de higiene com a lavagem das mãos e o distanciamento. É preciso que as pessoas evitem aglomerações”, frisou.
O monitoramento de internações registradas na cidade apontou um aumento de cerca de 39% no número global de internações (leitos clínicos e de UTI) nos últimos 14 dias, passando de 118, em 20 de fevereiro para 165 no fim da tarde de quinta-feira (04.03). A Secretaria de Saúde já sente também o impacto das alterações no sistema de regulação imposto pelo Estado, que permite, com a regulação de leitos sendo feita pelo Estado, que pacientes de outros municípios que precisam de leitos de UTI-Covid, sejam transferidos para Petrópolis. Desde a semana passada Petrópolis registra uma média de 10 internações de pacientes de outros municípios. Na noite de quinta-feira, por exemplo, 13 pacientes de fora da cidade estavam internados em leitos de UTI-Covid na rede SUS da cidade.
A Secretaria de Saúde também está suspendendo a realização de cirurgias eletivas – estando garantidas, no entanto, os procedimentos e cirurgias de emergência e oncológicas.

ED 531-CLIQUE AQUI

%d blogueiros gostam disto: