Vacinação em Duque de Caxias tem fila quilométrica e muita confusão

A decisão do prefeito Washington Reis, de Duque de Caxias, de reduzir a faixa etária do público alvo, de 80 anos para 60 anos, convocado para a imunização da covid-19 nesta sexta-feira (5) causou um enorme tumulto na cidade da Baixada Fluminense. Além das aglomerações em diversos pontos, houve engarrafamento em várias ruas do município. Na Rodovia Washington Luiz, houve congestionamento de até sete quilômetros.
Segundo o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), o município tem aproximadamente 80 mil moradores na faixa etária de 80 a 60 anos. No entanto, segundo o próprio prefeito, a Secretaria Municipal de Saúde disponibilizou apenas 6.100 doses das vacinas CoronaVac e Oxford-AstraZeneca, um número que representa menos de 10% do público alvo.
“No Brasil e no mundo, não tem dose para todo mundo. O que pode causar confusão é não informar as pessoas. A Vacina não é pra ficar guardada na geladeira”, disse o chefe do executivo municipal, alegando que ele mesmo distribuiu algumas senhas para as pessoas que estavam nas filas.
Em entrevista ao Bom Dia Rio, da TV Globo, o prefeito garantiu que o município tem estrutura para vacinar mais de 100 mil pessoas. “Se chegar aqui hoje, cem mil vacinas, temos estrutura para fazer vacinação de cem mil pessoal em apenas um dia. Estamos fazendo um trabalho impecável. Vacina chega aqui e é eficiência total para aplicar na população. Estamos fazendo todo o esforço”, garantiu Reis.
Desde as primeiras do dia os postos de saúde no distrito de Xérem já estavam completamente lotados. A convocação feita pelo prefeito atraiu moradores de outros municípios, principalmente da Baixada Fluminense. De acordo com a prefeitura, não é preciso apresentar comprovação de residencia fixa na cidade.
“Eu cheguei ainda na madrugada e já estava lotado. Isso não pode acontecer. Cada cidade vem recebendo a sua cota da vacina, porque querem vir pra caxias”, reclamou o aposentado Jorge Luis, de 66 anos.
A aposentada Maria do Carmo Silva também reclamou da falta de informação. “Eles falaram que não ia precisar de senha. Que era chegar e vacinar. Mas olha isso aqui, esse tumulto. Não somos animais, somos seres humanos. O prefeito não está respeitando ninguém”.
Já o aposentado Manoel Andrade Oliveira, morador do bairro Pillar, só conseguiu uma senha para se vacinar porque chegou durante a madrugada. “Vou tomar a primeira dose. Agradeço por isso, mas é triste esse tumulto”.

Fonte: O Dia on Line

ED 531-CLIQUE AQUI

%d blogueiros gostam disto: