Prefeito interino vistoria HNSA e pede organização de equipes para liberação de 100% dos leitos pactuados com o município

Unidade tem 12 leitos pactuados que ainda não foram utilizados. Hospital informou que pode disponibilizar leitos 48h após demanda da central de regulação

Dentro das ações preventivas para evitar um possível colapso no sistema de saúde de Petrópolis, com o aumento das internações que vem ocorrendo também por conta da transferência de pacientes de municípios vizinhos, o prefeito interino Hingo Hammes, acompanhado pelo secretário de Saúde Aloisio Barbosa da Silva Filho e o deputado estadual Sergio Fernandes, vistoriou na manhã deste sábado (06/3) as instalações do Hospital Nossa Senhora Aparecida, no Valparaíso. O prefeito conferiu de perto as instalações e conversou com diretores da unidade sobre necessidade de liberação de 100% dos leitos pactuados com o município para atender pacientes do Sistema Único de Saúde (SUS).
“Temos percebido um aumento na demanda por internações. A situação ainda está controlada na cidade, mas a transferência de pacientes de outros municípios para Petrópolis, por conta da mudança no sistema de regulação do Estado, já começa a impactar o sistema. Temos tido uma média diária de pelos menos 10 pacientes de outros municípios internados aqui. Estamos aqui no HNSA hoje para verificar de perto as instalações e buscar uma aproximação com a direção do hospital, para já alinharmos estratégias para o caso de precisarmos de mais leitos de UTI-covid”, explica o prefeito interino Hingo Hammes.
“Ficamos felizes por ter o prefeito aqui no HNSA, vendo de perto nossas nossas instalações. Este estreitamento de laços com a prefeitura é fundamental para nós, para que possamos atender cada vez melhor a população petropolitana e também os moradores de outros municípios que estão vindo receber tratamento aqui na cidade” declarou o diretor médico do HNSA, Haroldo Kurike.
O Hospital Nossa Senhora Aparecida tem hoje 48 leitos de UTI-Covid, 36 deles em pleno funcionamento. Na manhã deste sábado, 31 leitos estavam ocupados e cinco disponíveis para recebimento imediato de pacientes SUS. “Além destes, temos a possibilidade de oferecer ao município mais 12 leitos para receber pacientes SUS. Em caso de necessidade, estes leitos podem ser disponibilizados em 48h – prazo necessário para que possamos estruturar as equipes”, afirma o diretor financeiro do HNSA, Alexandre Pessurno.
“Estamos monitorando a evolução da Covid-19 na cidade, acompanhando de perto as informações do número de casos e de atendimentos nos pontos de apoio. Percebemos aumento na procura após o carnaval e nos primeiros dias de março. Verificamos também um aumento nas internações nas últimas semanas. Estes dados, somados à crescente demanda de outros municípios por leitos de UTI, hoje regulados pelo Estado, fizeram acender o alerta. Desde o início do ano tínhamos a taxa de ocupação de leitos estável. Agora, com o aumento da pressão sobre o sistema, precisamos que tudo esteja funcionando de forma plena, garantindo a estrutura necessária para atendimento da população”, assinala o secretário de Saúde, Aloisio Barbosa da Silva Filho.
Na sexta-feira (06/3) a Secretaria de Saúde reativou a UPA Vermelha – um reforço de 18 leitos para internação de pacientes com covid-19, sendo 14 leitos de UTI e quatro clínicos. Até a noite de sexta-feira, Petrópolis tinha 164 pacientes internados, sendo 64 em leitos clínicos e 100 em UTIs-Covid, considerando leitos públicos e privados. A taxa de ocupação na rede SUS era de 63,64% em leitos clínicos e 68,57% em leitos de UTI-Covid.

ED 531-CLIQUE AQUI

%d blogueiros gostam disto: