Israel descobre manuscrito bíblico de 2 mil anos no deserto da Judeia

Arqueólogos israelenses revelaram nesta terça-feira (16) que encontraram fragmentos de um texto bíblico que faz parte de uma coleção de manuscritos judeus descobertos há cerca de 60 anos. As dezenas de pergaminhos, escritos em grego com apenas o nome de Deus destacado em hebraico, foram localizadas em cavernas desertas de Israel.
Considerada “histórica” pelos pesquisadores, a descoberta é resultado de uma escavação israelense de anos no deserto da Judeia, além de ser a primeira dessa natureza desde a década de 1960, quando vestígios semelhantes e 40 esqueletos foram encontrados no local conhecido como Caverna do Horror. Situada a cerca de 80 metros abaixo do topo de um penhasco, ela é praticamente inacessível e só pode ser alcançada por meio de rapel.
De acordo com a BBC, acredita-se que o pergaminho tenha pertencido a rebeldes judeus que fugiram para as colinas após uma fracassada revolta contra o domínio romano no século II. Os remanescentes recém-encontrados contêm versículos dos livros de Zacarias e Naum, que fazem parte dos escritos conhecidos como Livro dos Doze Profetas Menores.
A recente revelação também inclui um esconderijo de moedas raras milenares, um esqueleto de uma criança de 6 mil anos provavelmente uma mulher, mumificada em um pedaço de pano – e uma grande cesta datada de 10,5 mil anos, que os especialistas acreditam ser a mais velha no mundo, segundo o jornal americano The Washington Post.
O CEO do Ministério de Jerusalém e Patrimônio, Avi Cohen, afirmou que as descobertas “são importantes não apenas para nossa própria herança cultural, mas para a de todo o mundo”, conforme o Post.
“Os fragmentos de pergaminho contendo textos bíblicos, as moedas e os achados adicionais do Período do Segundo Templo que foram encontrados neste projeto único atestam diretamente a herança judaica da região e o vínculo inseparável entre as atividades culturais judaicas e o nosso lugar nesta terra”, disse ele.
Pesquisas nos penhascos e cavernas no deserto da Judéia renderam um tesouro de achados ao longo de décadas, incluindo os mundialmente famosos Manuscritos do Mar Morto, as cópias mais antigas conhecidas de livros bíblicos
Os Manuscritos do Mar Morto foram encontrados pela primeira vez por pastores beduínos nas cavernas do deserto na Cisjordânia, perto do Mar Morto e da antiga cidade de Qumran, em 1946. Os beduínos penduraram os pergaminhos em um poste antes de sua existência ser descoberta por um professor judeu da Universidade Hebraica.
A suspeita é de que esses fragmentos datem do século III a.C. ao século I d.C. e abarquem as primeiras cópias conhecidas da Bíblia Hebraica, além de fornecer documentação de uma seita judaica ascética que existia durante a época de Jesus.

Fonte: Época

ED 531-CLIQUE AQUI

%d blogueiros gostam disto: