sáb. set 18th, 2021

Prefeitura do Rio deve definir próximos grupos de vacinação até início da próxima semana

A Prefeitura do Rio deve definir, até o início da próxima semana, os próximos grupos de vacinação, após o final da imunização da primeira dose dos idosos, prevista para o dia 24 de abril. O secretário municipal de saúde, Daniel Soranz, defendeu, na manhã desta quinta-feira, que pessoas com comorbidades também devem ser contempladas.
“Já são 11% da população carioca vacinada e a gente continua a vacinação até finalizar o grupo de 60 anos ou mais. Certamente o grupo de comorbidades precisa ser contemplado e a gente está avaliando. A prioridade nesse momento é vacinar as pessoas de 60 anos ou mais, então, até dia 24 [abril] a gente vai continuar vacinando esse grupo. De acordo com a remessa de próximas doses, a gente poder definir, com mais clareza, quais são os próximos grupos. Epidemiologicamente os grupos de comorbidades são grupos muito importantes, devido a internação e outros fatores, mas a gente também considera que forças de segurança, professores também tem que estar nessa fila como prioridade. Faremos essa avaliação ao longo da semana, e, provavelmente, no inicio da próxima semana a gente já tem uma posição quanto a isso”, falou em entrevista ao Bom Dia Rio, da TV Globo.
O Plano Nacional de Imunização (PNI), do Ministério da Saúde, informa que após a vacinação de idosos, devem ser vacinados pessoas com doenças crônicas como diabetes, câncer, hipertensão, asma grave, entre outros.
Em entrevista, o secretário ressaltou que a questão da vacinação para pessoas com comorbidades ainda está sendo discutida e é uma próxima fase, mas ressaltou que será necessário a apresentação de um atestado com a comprovação da doença.
“Tradicionalmente a gente já precisa de comprovação para comorbidades na vacina para a gripe. A gente tem um cadastro de comorbidades dos pacientes que são atendidos na rede pública, e quem não tem o cadastro, vai precisar, necessariamente, apresentar um atestado em relação as comorbidades que são definidas pelo Ministério da Saúde. Isso é uma próxima fase, a gente ainda não está discutindo e colocando essas regras ainda. Entendo que está todo mundo querendo se vacinar o quanto antes, mas vamos esperar para ver a quantidade de doses que a gente tem, como a gente vai organizar esse calendário para poder contemplar o máximo de pessoas possível e prioritariamente as pessoas que tem mais risco de adoecer gravemente e morrer”, informou.
Soranz também falou sobre as medidas restritivas nesses 10 dias de pausa emergencial, que vão até dia 4 de abril. Ele informou que será realizada uma reunião nesta quinta-feira e as informações serão divulgadas durante a apresentação do boletim epidemiológico, na sexta.
“A gente começa a ver um pouco de melhoria, com diminuição de pessoas procurando as unidades de pronto atendimento e as clínicas de família, mas ainda tem muita gente internada. São 1.400 pessoas internadas por covid-19 na cidade, então ainda é cedo para falar. A gente vai continuar analisando esses números para saber se será necessário um aumento de medidas restritivas ou não”.
Questionado sobre a flexibilização das medidas restritivas em relação ao comércio e as escolas, o secretário informou que ainda não é possível definir com base nos dados de ontem. “Nós vamos analisar isso de manhã para poder tomar qualquer atitude baseado nos números, baseado em como está o comportamento da doença na cidade”.

Fonte: O Dia

ED 531-CLIQUE AQUI

%d blogueiros gostam disto: