PMP apresenta ao DNIT sugestões ao projeto da União e Indústria, incluindo intervenções de tráfego e sinalização

Em uma reunião realizada no início da tarde desta terça-feira (06/04), na sede do Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (DNIT), no Rio de Janeiro, o governo municipal interino entregou em mãos, ao superintendente regional do órgão no Estado, Robson Loures, uma revisão ao projeto de reforma da Estrada União e Indústria, no trecho que vai do Centro a Pedro do Rio. O presidente da CPTrans Luciano Moreira, e o subsecretário de Obras Ericson Couto Lobato, representaram o prefeito interino Hingo Hammes no encontro, que teve a presença do deputado federal Vinícius Farah e do vereador Maurinho Branco, da Comissão de Transportes da Câmara Municipal.
O relatório apresentado é o resultado de um estudo elaborado nas últimas semanas por um grupo de trabalho composto por técnicos da própria CPTrans, da Secretaria de Obras, Habitação e Regularização Fundiária e da Secretaria de Planejamento e Desenvolvimento Econômico, através do Departamento de Urbanismo (DEURB). O objetivo principal é o de melhorar a mobilidade urbana e o trânsito em alguns trechos em Corrêas, Nogueira, Bonsucesso e Itaipava. A proposta é a de alinhar as intervenções junto ao DNIT para que elas possam ser executadas paralelamente ao cronograma da reforma, que teve início em junho do ano passado.
Entre os principais pontos sugeridos, está uma mudança pontual na entrada de ônibus oriundos do Centro ao Terminal de Corrêas. Atualmente, os coletivos acessam por uma via lateral e aguardam a liberação do semáforo para cruzarem a pista, em direção à rodoviária. Pela nova proposta, o fluxo de veículos no sentido Itaipava seria desviado pela lateral da pista, criando uma terceira via de rolamento, e os coletivos aguardariam na pista central para entrarem no terminal.
“A criação dessa terceira faixa certamente vai ajudar muito na fluidez do trânsito naquele trecho, e estará de acordo com o afastamento do centro da via, exigido pelo DNIT”, explicou o presidente da CPTrans. Luciano Moreira apresentou também algumas outras intervenções, que incluem a implantação de rotatórias, faixas elevadas, além de intervenções pontuais nos trevos de Bonsucesso e de acesso à Estrada Itaipava-Teresópolis, e nos acessos à estrada pelo Castelo de Itaipava e por Pedro do Rio.
Ericson Lobato explicou que o estudo propõe também melhorias no trevo de retorno para Nogueira, e a implantação de uma sinalização removível no acesso à ponte do bairro, paralelamente à criação da rotatória no Hotel Buriti. “Estão previstas também na revisão do projeto outras intervenções em calçadas, baias de ônibus e sinalização, tudo buscando um resultado mais harmônico e prático que venham somar às obras de pavimentação e drenagem que já estão em andamento”, disse o subsecretário de Obras.
Para o vereador Maurinho Branco, que conseguiu agendar, junto com a equipe da prefeitura – por intermédio do deputado Vinícius Farah – uma visita técnica dos dirigentes do DNIT no final de março e a reunião desta terça-feira, “a obra está ficando muito boa sob o ponto de vista de pavimentação e drenagem, mas os resultados práticos para a mobilidade urbana e a fluidez da via estarão seriamente comprometidos se as modificações propostas pelo Governo Municipal não forem implementadas”.

DNIT vai avaliar viabilidade técnica das propostas sugeridas
Segundo o superintendente do DNIT, Robson Loures, as demandas do munícipio estão sendo recebidas e serão discutidas com a diretoria do órgão, em Brasília, para uma análise dos recursos necessários para que as mesmas sejam incorporadas ao projeto. “A primeira etapa, a partir de agora, é a análise técnica das propostas sugeridas. Vencida essa parte, poderemos elaborar o RPFO (Revisão do Projeto em Fase de Obra) que definirá os valores necessários para a execução dos trabalhos.
A obra está orçada em R$ 40 milhões, dos quais R$ 15 milhões foram efetivamente liberados pela União para a execução do primeiro trecho. O deputado Vinícius Farah acompanhou a apresentação das propostas, e disse que a análise das modificações deve ser feita de forma urgente, para que, se necessário, o projeto (com as devidas alterações) esteja incluído dentre os beneficiados com emendas para 2022, em complemento aos recursos próprios do orçamento do órgão federal.
“Essa é uma demanda muito importante e necessária para Petrópolis. Como representante da região, reafirmo meu compromisso com a cidade e a defesa de seus interesses em Brasília”, destacou Farah, que agendará nos próximos dias uma reunião com o ministro da Infraestrutura, Tarcísio Gomes de Freitas, para reforçar a necessidade das intervenções sugeridas na União e Indústria

ED 531-CLIQUE AQUI

%d blogueiros gostam disto: