Concurso Ibama: veja distribuição das 1.659 vagas temporárias

O Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama) tem autorização para preencher 1.659 vagas temporárias de brigadistas. A oferta é para atender ao período de emergência ambiental no país.

Confira o número de oportunidades por cargo e escolaridade:

  • Nível alfabetizado: brigadista (1.305 vagas) e chefe de esquadrão (213);
  • Nível médio: chefe de brigada (96);
  • Nível superior: gerente estadual (40) e gerente federal (cinco).
    As contratações representam estabilidade ou aumento de profissionais em 17 estados e o Distrito Federal, em período de seca. Mato Grosso é o que concentra a maior oferta, com 237 vagas temporárias. Os aprovados podem começar a atuar a partir deste mês de maio.
    O Ibama publicará os editais aos poucos e por localidade. As seleções são realizadas por intermédio do Centro Nacional de Prevenção e Combate aos Incêndios Florestais (Prevfogo).
    Até o momento, já foram divulgados os documentos com 90 vagas para brigadistas, chefes de brigada e chefe de esquadrão. As funções são para pessoas alfabetizadas ou com ensino médio e estão espalhadas pelos estados do Amapá, Maranhão, Mato Grosso e Pará.
    Os salários para as vagas de Brigadista de Prevenção e Combate aos Incêndios Florestais, Brigadista Chefe de Esquadrão e Brigadista Chefe de Brigada variam entre R$1.100 e R$2.750.
    Todas as oportunidades contam com auxílio-alimentação, auxílio pré-escolar (quando couber), auxílio-transporte (quando couber) e seguro acidente. A jornada de trabalho é de 40 horas semanais em horários, turnos e escalas definidos pelo Prevfogo/Ibama.
    O candidato precisa estar atento ao período e local das inscrições para o processo seletivo e curso de capacitação.

Ibama enviará pedido de concurso para efetivos com 2 mil vagas
O Ibama também irá solicitar autorização para novo concurso com 2.348 vagas efetivas. Desse quantitativo, 526 serão para técnico ambiental, 954 para técnico administrativo, 663 para analista ambiental e 205 para analista administrativo.
Os dois primeiros cargos exigem o nível médio completo e as duas últimas, o nível superior. As informações foram obtidas pela Folha Dirigida por meio da Lei de Acesso à Informação .
Até o dia 31 de maio, os órgãos federais podem enviar pedidos de novos concursos ao Ministério da Economia. Cabe à pasta validar ou não as seleções, mediante o caráter de prioridade para reposição de pessoal e orçamento disponível.

Do Portal Terra

ED 531-CLIQUE AQUI

%d blogueiros gostam disto: