ter. set 28th, 2021

Após audiência pública, Frente Parlamentar em apoio e defesa da Economia Solidária traça os próximos passos

Aprovada em sessão plenária da Câmara Municipal, a Frente Parlamentar em apoio e defesa da Economia Popular Solidária foi instaurada na semana passada, durante Audiência Pública, convocada pelo vereador Yuri Moura, agendada para debater o assunto.

O encontro, que contou com a presença de lideranças nacionais, municipais e estaduais do tema como a Deputada Monica Francisco e o Deputado Estadual Waldeck Carneiro, apontou os principais desafios da frente, dentre eles, a criação de um Centro Público de Referência em Economia Popular e Solidária, um espaço público multifuncional, de caráter comunitário, que se destinará a articular oportunidades de geração, fortalecimento e promoção do trabalho coletivo, baseado na economia solidária.

A iniciativa da frente parlamentar também é do vereador Yuri, em parceria com os vereadores Gil Magno e Ronaldo Ramos. A Frente vai atuar no fortalecimento dos empreendedores que já estão no circuito de Economia Solidária, mas também deseja criar oportunidades para quem, durante a pandemia, abriu um negócio com as características de ser sustentável, popular e consciente. Na primeira reunião da frente, será elaborado um estatuto próprio para estabelecer funções, normas e critérios de funcionamento, incluindo o direito de voz aos cidadãos que participarem das reuniões, que terão caráter público.

“Precisamos pensar, especialmente, nesse momento de crise social e pandemia, em novas oportunidades econômicas para os trabalhadores. Queremos aprovar o Plano Municipal da Economia Popular Solidária, garantir novos espaços públicos, praças e eventos, para o circuito ECOSOL e construir outras tantas iniciativas. Temos uma cadeia de economia solidária e popular já organizada, mas é preciso incentivo e diálogo do poder público. Nesse aspecto, a frente parlamentar é um grande avanço”, comentou Yuri.

Outros pontos que estão no radar de frente parlamentar são a elaboração do projeto de lei de Compras Coletivas por parte do Poder Público (Prefeitura e Câmara Municipal) e serviços de cooperativas, o avanço na execução da política e do sistema municipal de economia popular solidária e a criação de um Banco Comunitário e Moeda Social em Petrópolis.

O vereador Gil Magno, que já foi presidente do Conselho de Economia Solidária da cidade, comentou que durante esse período sentiu falta de uma Frente mais atuante, com uma discussão apropriada e uma interlocução maior com as esferas estaduais e federais:

“Uma vez criada essa Frente, com os vereadores discutindo o desenvolvimento da economia solidária, tenho certeza de que nós vamos promover a geração de renda em nosso município”, disse

ED 531-CLIQUE AQUI

%d blogueiros gostam disto: