qui. out 21st, 2021

VEREADOR PEDE CRIAÇÃO DE PROTOCOLO DE CUIDADOS COM AS ÁRVORES DA CIDADE

Nesta semana, o vereador Domingos Protetor protocolou uma indicação legislativa ao Executivo pedindo que seja criado um protocolo de cuidados com as árvores, em especial as localizadas no Centro Histórico. O objetivo é a segurança da população, tendo em vista que a falta de manutenção das árvores é um dos principais fatores que causam as frequentes quedas e acidentes na cidade. Outro motivo é a preservação dessas árvores, que são um patrimônio histórico de Petrópolis.
O tema é uma preocupação antiga do vereador, tanto que, junto de seu gabinete, vem estudando propor alterações no Código de Posturas do município, visando conscientizar sobre a conservação e a poda consciente dos galhos. Inclusive, um ato recente, no qual foram afixados cartazes com pedidos de socorro em árvores pelo Centro, foi um estímulo a mais para que continuasse na luta pela causa. “Elas estão lotadas de ervas daninhas, que são parasitas, pois sugam os nutrientes e podem ocasionar, não só a doença, como a morte da árvore. Além disso, pesam a copa, ocasionando a queda e trazendo risco à população”, explica Domingos Protetor.
O objetivo da proposta é que seja criado, em conjunto com a Secretaria de Meio Ambiente e a COMDEP, um protocolo de manutenção destas árvores, envolvendo limpeza, retirada de ervas daninhas e poda consciente, a ser realizada na época e da forma corretas. “Essa ação preventiva tem a ver com a segurança das pessoas e o cuidado com essas árvores que são patrimônio da cidade, tendo em vista que irá evitar acidentes. Todo ano temos registros de problemas. Em 2016, por exemplo, tivemos o caso de uma árvore, em frente ao Museu Imperial, que caiu em cima de uma pedestre, que precisou ser levada ao hospital”, relembra.
Sobre a poda consciente das árvores, o vereador já solicitou, no começo do ano, que seja feito um cronograma anual, de modo que não aconteça entre os meses de setembro e dezembro, já que este é o período de procriação dos pássaros. “A poda arbitrária mata, deixa sem casa e sem alimento milhares de animais. Portanto, é necessário um estudo para que o poder público consiga atuar em prol das pessoas, do Meio Ambiente e dos animais”, finaliza.

ED 531-CLIQUE AQUI

%d blogueiros gostam disto: