qui. out 21st, 2021

Petrópolis tem o menor índice de risco de infestação de Aedes Aegypti dos últimos quatro anos

Levantamento de Índice Rápido ao Aedes Aegypti (LIRA) classificou a cidade em 0,10% com baixo risco de infestação predial


Petrópolis tem o menor índice de risco de infestação pelo mosquito Aedes Aegypti dos últimos quatros anos. Com 0,10%, a cidade está classificada com baixo risco de infecção predial segundo o Levantamento de Índice Rápido ao Aedes Aegypti (LIRA), para as doenças transmitidas pelo mosquito como dengue, chikungunya e zika. As coletas das amostras ocorreram entre os dias 02 e 06 de agosto. Mensalmente, os agentes de endemia realizam cerca de 45 mil visitas em domicílio.
“Estamos muito satisfeitos com esse resultado. Entendemos que a diminuição na porcentagem do risco de infestação é normal no inverno, mas não podemos esquecer do atividade realizada pelos agentes de endemia diariamente. Orientar a população sobre os cuidados necessários de prevenção é o principal trabalho”, ressaltou o prefeito interino, Hingo Hammes.
O baixo número é o mesmo constatado na pesquisa de outubro de 2017. No último LIRA realizado no mês de maio de 2021, Petrópolis obteve resultado de 0,77% nos parâmetros para classificação quanto à infestação pelo mosquito, de acordo com as Diretrizes Nacionais para Prevenção e Controle de Arboviroses. Esse número representa risco reduzido de infecção, com índice satisfatório menor que 1%. Entre 1 e 3,99%, os números representam sinal de alerta, e acima de 4,00%, alto risco de contaminação pelo mosquito.
Em abril deste ano foi feita a redistribuição de agentes, com as equipes sendo organizadas em pontos fixos. Os agentes são ligados à Coordenadoria de Vigilância Ambiental do Departamento de Vigilância em Saúde, da Secretaria de Saúde. A coordenadora, Alessandra Cardoso, diz que a reorganização dos agentes foi determinante para o resultado: “Os moradores dos bairros reconhecem os agentes e sabem da necessidade dos cuidados e orientações. As visitas rotineiras são muito importantes”.
Neste momento de pandemia a visita está sendo realizada apenas na parte exterior dos imóveis, com verificação de locais com água parada e caixas d’água destampadas. Todos os agentes de endemia estão vacinados com as duas doses contra Covid-19. As tarefas executadas pelo agente de combate a endemias envolvem vistorias de domicílios, com transmissão de informações sobre os cuidados necessários para garantir a não proliferação do vetor, destruição de criadouros e aplicação de larvicidas quando necessário.
Alessandra ressalta que os cuidados com larvas e o mosquito Aedes aegypti devem ser mantidos em todos os meses do ano: “Evitar água parada, manter caixas d’água tampadas e bem cuidadas, são os cuidados essenciais de prevenção. Mesmo no período de inverno não podemos reduzir os esforços no combate ao Aedes aegypti”.
O agente de combate a endemia tem uniforme próprio, com colete e acessórios de identificação. Caso o morador tenha dúvida se a pessoa que está em sua porta é um agente, pode entrar em contato com a coordenadoria para fazer a verificação pelo telefone: (24) 2231-0841. Denúncias de caixa d’água sem a tampa e água acumulada em residência, também podem ser feitas nesse número.

ED 531-CLIQUE AQUI

%d blogueiros gostam disto: