dom. dez 5th, 2021

Projeto prevê criação de Programa de Identificação e Tratamento da Dislexia em Petrópolis

A Câmara Municipal aprovou por unanimidade, em sessão realizada na tarde desta terça-feira (14), um projeto de autoria do vereador Eduardo do Blog (Republicanos), que indica ao executivo municipal, a criação do Programa de Identificação e Tratamento da Dislexia na Rede Pública e Particular de Ensino de Petrópolis. A ideia é fazer um diagnóstico precoce e realizar um acompanhamento especializado, através de profissionais treinados, com os estudantes que apresentarem dislexia.

Segundo a Associação Brasileira de Dislexia (ABD), o transtorno é o maior em incidência nas salas de aula do país e atinge cerca de 10 a 15% da população mundial.

“A identificação precoce evita problemas no rendimento escolar. A dislexia está diretamente relacionada à evasão escolar e à sensação de fracasso pessoal e a imensa maioria da rede educacional pública e particular não está preparada para este desafio. Por isso a importância de criarmos em nossas escolas um programa efetivo que capacite professores a identificar estes distúrbios, com equipes multidisciplinares para realizar uma avaliação precisa e que garantam o acompanhamento profissional necessário”, comentou o vereador.

O projeto segue agora para o executivo municipal.

Saiba mais

A Dislexia é um distúrbio da linguagem e/ou leitura. Por soar como nomenclatura de uma doença, o termo dislexia causa medo especialmente entre os pais, que, por falta de informações, muitas vezes acreditam ser o fim do mundo ter um filho disléxico.

Ao contrário do que muitos acreditam, a dislexia não é o resultado de má alfabetização, desatenção, desmotivação, condição socioeconômica ou baixa inteligência. É uma condição hereditária, com alterações genéticas, apresentando ainda mudanças no padrão neurológico. Por tudo isso, a dislexia deve ser diagnosticada por uma equipe multidisciplinar.

Esta avaliação dá condições de um acompanhamento pós-diagnóstico mais efetivo, direcionado às particularidades de cada indivíduo. Identificado o problema de rendimento escolar ou sintomas isolados, que podem ser percebidos na escola ou mesmo em casa, deve-se procurar ajuda especializada.

Quando a dislexia é identificada, começa, então, um acompanhamento cujos métodos podem variar de acordo com os diferentes graus do distúrbio (leve, moderado e severo), podendo levar até cinco anos. Descobrir e tratar precocemente o distúrbio são as melhores formas de reduzir as dificuldades no aprendizado da leitura.

ED 531-CLIQUE AQUI

%d blogueiros gostam disto: