Prefeitura de Nova Friburgo instaura Comissão Processante contra Itapemirim

A Prefeitura de Nova Friburgo (RJ) instituiu uma Comissão Processante para apurar o cometimento de infração contratual por parte da Itapemirim e eventuais aplicações de punições. A informação é do Diário do Transporte.
Segundo a administração, a investigação se justifica considerando que “a empresa assinou um contrato para operação dos transportes coletivos com o município e não o cumpriu”.
Envolvido em grave crise financeira e escândalos, o Grupo Itapemirim abandonou um contrato para prestar serviços municipais de transporte coletivo de forma emergencial à cidade fluminense.
O contrato foi assinado em 25 de junho de 2021, para uma validade de 12 meses, entre a prefeitura e o presidente e proprietário da empresa de transporte, Sidnei Piva de Jesus.
O documento prevê a operação de 91 ônibus, quase cinco vezes menos do que o número de coletivos previstos para a operação do transporte de passageiros em São José dos Campos, que também deveria ser de responsabilidade do Grupo Itapemirim a partir de 15 de maio de 2022.
No entanto, a Prefeitura de São José dos Campos está na análise final do recurso administrativo da Itapemirim por descumprimento do contrato.
Segundo o governo Felicio Ramiuth (PSD), a companhia não apresentou contrato de compra da nova frota de ônibus para São José.

NOVA FRIBURGO
Além da Comissão Processante, o secretário geral de Governo de Nova Friburgo, Rodrigo Ascoly, disse que não está descartada a cobrança por via judicial do grupo capitaneado pelo empresário Sidnei Piva de Jesus.

Fonte: Diário do Vale

ED 531-CLIQUE AQUI

%d blogueiros gostam disto: