Téxvn Group investe em novo espaço no Parque Tecnológico da Região Serrana – O Serratec

Grupo de empresas carioca aposta em polos de desenvolvimento fora da cidade do Rio de Janeiro para ampliar capacidade de atuação e driblar escassez de mão obra no setor.


A empresa carioca de desenvolvimento de softwares, Téxvn Group, aposta no novo Parque Tecnológico da Região Serrana (Serratec) para expandir seus negócios e, ainda, driblar a escassez de mão de obra qualificada na área. Depois de entrar para a lista de fornecedores da Agência Espacial Brasileira, a empresa precisa dobrar o número de funcionários nos próximos dois anos, mas esbarra na falta de profissionais de tecnologia. A saída, segundo o CEO Gabriel Monteiro, é investir na formação de jovens talentos, uma vez que as universidades não conseguem suprir a demanda do mercado. “Enquanto a estimativa de ofertas de vaga na área de tecnologia está em mais de 630 mil trabalhadores entre 2022 e 2025, as universidades formam apenas 53 mil profissionais por ano e que ainda precisam de qualificações específicas. A saída para as empresas é investir na formação de jovens e é isso que esse pólos oferecem”, explica Monteiro.
Mesmo com o escalonamento de profissionais por conta da pandemia, a sede da empresa, com 200 metros quadrados, na Barra da Tijuca, ficou pequena, e a nova filial já está em construção em Petrópolis. A partir do segundo semestre deste ano, a Téxvn Group contará com um escritório de 50 m² dentro do Serratec. “Investimos R$ 50 mil na nova filial, e o objetivo é ter 22 funcionários no novo escritório até o final de 2023”, ressalta Monteiro, que também está investindo em espaços no Parque Tecnológico de São José dos Campos e na capital de São Paulo.
Criado em 2019, o Serratec oferece cursos gratuitos para jovens em situação de vulnerabilidade, mas também promove integração entre empresas de tecnologia, universidades e órgãos governamentais, fomentando os negócios no setor. “O parque forma 170 profissionais a cada semestre, e o Grupo Téxvn vai dar apoio a essa formação, para que parte desses profissionais estejam aptos para trabalhar em nossos projetos tão logo terminem seus cursos”, completa o empresário, que espera chegar a 70 funcionários até o final de 2024, sendo 30 no Serratec.
O empresário, que também é o mais jovem diretor da Assesspro-RJ – entidade privada sem fins lucrativos que representa as empresas brasileiras de tecnologia da informação – vem acompanhando de perto o problema da escassez de mão de obra e tem se engajado na formação de nova força de trabalho para o setor. Além de ser mentor voluntário de programas como “Vai na Web” – plataforma de formação de talentos digitais voltada para estudantes das classes C,D e E – e “Game Jam Plus” – encontros para desenvolvedores de jogos digitais, nos quais ocorrem disputas e treinamentos – Monteiro apadrinha jovens em curso oferecido pela Assesspro-RJ. Eles fazem parte do projeto Forsoft Coding, programa de Educação e Qualificação Profissional da Assespro, premiado pela ONU, que já capacitou e mudou a vida de mais de 800 jovens, oferecendo cursos de programação de computadores para jovens de 18 a 24 anos em situação de vulnerabilidade social. Eles serão contratados pela Téxvn Group assim que concluírem a qualificação profissional, em março deste ano.
“Pretendemos fazer o mesmo (apadrinhar jovens em formação) no Serratec e no Parque Tecnológico de São José dos Campos. “Estar presente nesses centros tecnológicos é muito importante para as empresas do setor. Além de acompanhar a formação da mão de obra, observamos de perto as tendências e ampliamos nosso network. Esses pólos são realmente muito importantes”, conclui Monteiro.

ED 531-CLIQUE AQUI

%d blogueiros gostam disto: