Rua Teresa bate a marca de 100 mil seguidores nas redes sociais

Investimento em gestão de mídia gera retorno positivo nas vendas
A tecnologia sempre foi aliada dos negócios. Com a popularização das redes sociais, essa plataforma on-line passou a ser vista como mais uma possibilidade de divulgação de serviços e produtos. De acordo com o Sebrae, sete em cada dez empreendedores brasileiros utilizam essa mídia para promover vendas e também como vitrine para seus negócios. Desses, 84% utilizam o WhatsApp, 54% o Instagram e 51% vendem pelo Facebook. “A população brasileira é uma das que mais usam as redes sociais no mundo, e essa ferramenta é um ótimo canal de venda. Com ela é possível alcançar diversos consumidores, se aproximar deles, conhecer um pouco melhor seu perfil, além de surgirem inúmeras oportunidades de mostrar produtos e serviços”, diz a entidade.
Há dois anos, já se conectando com as tendências tecnológicas de mercado, a Associação da Rua Teresa (ARTE) investiu em uma empresa para gestão das redes sociais oficiais da Rua Teresa. Nesse período houve um crescimento de seguidores de mais de 110%, saltando de 47 mil em março de 2020 para mais de 100 mil em fevereiro de 2022.
“Aquele foi o momento ideal para entregar a gestão das redes nas mãos de uma equipe especializada. Isso priorizou o trabalho e concentrou as atividades no que precisávamos, que era abrir mais um canal de troca com os nossos clientes. A Rua Teresa é conhecida nacionalmente e era primordial ampliar nossa comunicação. E o investimento já virou retorno positivo nas vendas. Foi nossa vitrine quando fechamos as lojas físicas durante o pior momento da pandemia de covid-19. E hoje se consolidou como um canal importante para divulgação das marcas da Rua”, explica Denise Fiorini, presidente da ARTE.
A equipe de gestão das redes sociais trabalhou, principalmente, este aspecto nos perfis da Rua. A estratégia é tornar as marcas e produtos mais conhecidos. “O principal objetivo do perfil da rua é ser uma vitrine on-line que traduza a variedade de estilos e marcas que oferecemos. É traduzir essa realidade que é ser um enorme shopping a céu aberto com opções de peças superacessíveis e marcas de ótima qualidade”, reforça a líder da equipe, Carolinne Abreu.

Perfil dos seguidores e ações de valorização das marcas locais
Segundo Carolinne, para a grande maioria dos empresários, o Instagram foi o único canal de rentabilização durante os três meses em que as lojas permaneceram fechadas. “Durante esse período, o principal foco do perfil da Rua era dar visibilidade para essas marcas e simplificar a compra on-line.”
Ela destaca que a maioria do público é do estado do Rio de Janeiro, sendo 40% petropolitanos e os demais de cidades próximas como Duque de Caxias, Rio e Niterói. 91% do público é feminino e as publicações que falam sobre promoções fazem sucesso. “Sempre vão muito bem! As pessoas gostam de ver “achados” e dicas de onde encontrar peças que são tendência no momento também.”
E a equipe continua trabalhando para alcançar números ainda maiores. Essa interação com os consumidores se reflete em vendas. O objetivo é fidelizar os seguidores. “Desde que assumimos a gestão o perfil cresce representativamente mês a mês e de forma totalmente orgânica. Acredito que isso seja reflexo de estarmos sempre pensando com a cabeça do seguidor, considerando o que ele gostaria de ver ali naquele momento. Então queremos continuar gerando um conteúdo relevante para o nosso público”, pontua Carolinne.

ED 531-CLIQUE AQUI

%d blogueiros gostam disto: