Empresas de ônibus em Petrópolis contabilizam alta acumulada de 73% no custo do diesel

Nos últimos quatro meses, aumento foi de R$ 0,80 sobre o litro do combustível


As sucessivas elevações no preço do óleo diesel, item fundamental para a operação dos ônibus, continuam prejudicando o transporte público em Petrópolis. O custo do litro do combustível, registrado em nota fiscal nesta segunda-feira (2), já registra o preço de R$ 5,65, valor que, no acumulado, é 73,3% superior ao registrado na última planilha tarifária, em agosto de 2019, que definiu a tarifa de R$ 4,40, que não sofre qualquer reajuste há dois anos e oito meses.
Na época, o litro do óleo diesel era comprado a R$ 3,26 nas distribuidoras. Em março do ano passado, o custo saltou para R$ 3,61. Dez meses depois, em janeiro deste ano, o preço já atingia incríveis R$ 4,85. Desde então, foram necessários somente quatro meses, para que o valor fosse ampliado em, pelo menos, mais R$ 0,80 e, consequentemente, atingindo R$ 5,65 por litro, ampliando ainda mais, a crise econômica e financeira enfrentada pelas operadoras de ônibus, sem contar a elevação dos preços das peças e itens de rodagem dos coletivos.
Atualmente, o custo pago pelas empresas de ônibus por cada litro de óleo diesel é R$ 1,25 mais caro que o valor final da tarifa de ônibus em Petrópolis, o que reforça a necessidade da adoção de políticas públicas, tendo em vista que o preço do combustível é o responsável por quase 30% de todo o gasto do setor no município.
Responsável por circular por quase dois milhões de quilômetros todos os meses no município, o transporte público, composto pelas empresas de ônibus Cidade Real, Petro Ita, Cidade das Hortênsias, Cascatinha e Turp Transporte consomem, mensalmente, cerca de 675 mil litros de óleo diesel para manter a operação. Ou seja, se em agosto de 2019 eram necessários, pelo menos, R$ 2,2 milhões para arcar com os custos do combustível, atualmente, as empresas precisam desembolsar mais de R$ 3,8 milhões para manter somente o óleo diesel.
“O diesel é um insumo essencial para a prestação do serviço por ônibus. Em razão dos aumentos consecutivos no país, a crise do sistema de transporte público está cada vez mais grave. Por isso, as empresas de ônibus, através de suas entidades representativas, apelam aos governos federal, estadual e à própria direção da Petrobras, para que sejam adotadas políticas públicas de preço, que possam equilibrar e solucionar esta equação, que eleva a inflação e prejudica os mais variados setores da economia”, disse Carla Rivetti, gerente do Setranspetro.
O Setranspetro destaca que as empresas de ônibus vêm enfrentando uma grave crise econômica e financeira ao longo dos últimos anos, que se agravou desde o surgimento da pandemia, com prejuízos milionários, e também por duas catástrofes naturais em Petrópolis, que resultaram em prejuízos incalculáveis, provocando a degradação do sistema de transporte.

ED 531-CLIQUE AQUI

%d blogueiros gostam disto: