Em uma semana, 177 registros de Covid-19 em Teresópolis

Dados do Painel Covid-19, da Secretaria Municipal de Saúde, indicam que Teresópolis voltou a registrar crescimento na taxa de contaminação pela doença. Em uma semana, foram 177 novos casos anotados pelo setor – sendo a sexta-feira (27) o dia com maior número de pessoas testando positivamente para a doença, 36. Na última atualização, no dia 29, domingo, foram 14 novos casos. Importante frisar que, apesar dessa nova escalada do coronavírus, o município está na média do estado e, além disso, não há registro de casos graves ou sequer pacientes internados – também de acordo com o painel oficial de divulgação do governo municipal. O site também informa que a última morte em consequência da doença em Teresópolis foi registrada no início do mês de abril. O Hospital São José registrou, na última semana, aumento no número de atendimento a pacientes com sintomas da Covid-19 e, em decorrência disso, o suspendeu temporariamente as visitas a partir desta segunda-feira, dia 30. “O boletim médico dos pacientes internados será reportado diariamente para o familiar cadastrado no ato da internação via Whatsapp ou telefone”, informou a instituição nesta terça-feira, 31.
A nível estadual, a taxa de positividade de RT-PCR, exame feito em sua maioria em pacientes internados, está em 15%, quando se calcula a média móvel de sete dias no período de 15 a 21 de maio. Usando o mesmo cálculo, entre 8 e 14 de maio, a positividade estava em 20,4%. Na semana passada, o cálculo da positividade foi feito por meio da média simples das taxas diárias. Já a taxa positividade para testes de antígeno passou de 15,6%, quando se calcula a média móvel de sete dias no período de 08 a 14 de maio, para 18,4%, entre 15 e 21 de maio. Esse dado inclui os testes realizados em farmácias e unidades de saúde públicas e privadas do estado do Rio. “Não estamos observando um aumento exponencial na taxa de positividade ou de casos e óbitos, como observado nas ocasiões das ondas já vivenciadas no Estado do Rio de Janeiro. Possivelmente, essa taxa de positividade, em torno de 15% a 20%, será o esperado para Covid-19 nos meses de menor temperatura e consequente aumento de circulação de vírus respiratório”, informa o secretário de Estado de Saúde, Alexandre Chieppe.
Quanto ao número de atendimentos a casos de síndrome gripal em UPAs, observa-se um aumento de 9% em relação a semana passada, o que configura um cenário de estabilidade. Na semana de 15 a 21 de maio, foram em média 374 atendimentos diários de pacientes com síndrome gripal, sendo 237 pediátricos. Na semana de 8 a 14 de maio, a média diária de atendimentos foi de 344, sendo 221 pediátricos. “Observamos que os atendimentos pediátricos representam o dobro dos atendimentos de adultos por síndrome gripal. Isso se deve a fatores como a sazonalidade, já que nesta época do ano, com a queda da temperatura, a maior causa das internações nas crianças é a bronquiolite”, explica Chieppe.

Número de vacinados
Também segundo os números oficiais da prefeitura, os números atuais da vacinação em Teresópolis são os seguintes: Primeira dose – 148.029 (81,8%); Segunda dose – 125.730 (69,5%); Dose única – 4180 (2,31%); Dose de reforço – 54.383 (30,1%).

Dose de reforço para adolescentes
Nesta terça-feira, 31, a Secretaria Municipal de Saúde começou a aplicar a dose de reforço contra a Covid-19 em adolescentes de 12 a 17 anos de idade. A vacinação ocorre após determinação do Ministério da Saúde (MS) e da Secretaria de Estado de Saúde do Rio de Janeiro (SES-RJ). No município, as doses são aplicadas em todas as unidades de saúde da cidade e interior. “Conforme nota técnica divulgada na última sexta-feira (27), a dose de reforço deve ser aplicada quatro meses após o esquema vacinal estar completo. A dose adicional da vacina é uma garantia a mais para a proteção contra o vírus”, explicou a Subsecretária de Atenção Básica à Saúde, Dra. Cláudia Miguel.
Sob orientação da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), a dose de reforço será aplicada, preferencialmente, com a vacina da farmacêutica Pfizer, independentemente da dose aplicada em doses anteriores. Na indisponibilidade do imunizante, será usada a Coronavac. Esta orientação vale para adolescentes, gestantes e puérperas. Em adolescentes imunocomprometidos, será aplicada somente a vacina Pfizer.

Fonte: Diário de Teresópolis

ED 531-CLIQUE AQUI

%d blogueiros gostam disto: